Entenda porque participar de eventos em épocas de crise é fundamental para o sucesso do seu negócio

Entenda porque participar de eventos em épocas de crise é fundamental para o sucesso do seu negócio

A reação de empresários e empreendedores dos mais diversos setores diante de uma recessão da economia é quase sempre a mesma: cortar investimentos em comunicação institucional e ações de relacionamento e focar apenas na área comercial. No entanto, o que poucos gestores sabem é que deixar de investir nessas ações de relações públicas e promoção pode ser um verdadeiro tiro no pé.

Afinal, é preciso, mais do que nunca, diminuir a percepção de crise e fragilidade com uma proposta de comunicação assertiva. Nesse cenário, a participação da empresa em eventos é uma das mais importantes estratégias, uma vez que, com uma só ação, é possível impactar potenciais e atuais cliente, concorrentes, formadores de opinião do setor e a imprensa.

4 motivos de porque sua empresa deve continuar participando de eventos em épocas de crise

1. Impactar o mercado: defenda seu marketshare

Duas diferentes situações podem acontecer em épocas de economia fragilizada: seus concorrentes deixam de participar de eventos ou continuam participando de eventos mesmo com cortes de custo.

Imagine se sua empresa desiste de participar de uma importante feira do setor, mas seus concorrentes continuam presentes. Que imagem sua ausência vai formar na cabeça dos seus clientes e prospects? Eles podem imediatamente supor que sua empresa está passando por dificuldades financeiras, enquanto os concorrentes continuam vendendo de vento em popa.

Agora, imagine o quando sua empresa ganha em reputação quando é uma das únicas do seu segmento que está presente nessa mesma feira? Conseguirá, sem grandes esforços, chamar a atenção de todos os prospects que circulam por lá e gerando importantes oportunidades para todas as áreas da empresa.

2. Apoiar seu time comercial: investir em eventos é investir em vendas

Na hora da crise é preciso vender mais e seu departamento comercial não conseguirá bater suas metas sem um sólido plano estratégico de comunicação que projete sua marca e os produtos e serviços vinculados à ela. Todo vendedor sabe: seu trabalho é tanto mais fácil quanto a força da marca que defende.

3. Transformar custos em investimentos

Quando trabalhamos com um budget confortável, podemos nos dar o luxo de investir em ações de ganho de reputação e imagem, importantes assets para uma empresa, mas que não geram receita a curto prazo. Durante uma crise, no entanto, é preciso pensar cada real gasto a partir do retorno que esse investimento vai trazer em número de novos negócios. Ou seja: os departamentos responsáveis pela organização e participação de eventos deverão pensar ainda mais estrategicamente, elaborando planos de fazer mais com menos e calculando métricas reais do retorno que cada ação panejada irá trazer para os resultados da empresa.

Nesse sentido, as métricas de Custo de Aquisição de Clientes (CAC), Custo de Aquisição de Oportunidades e Retorno Sobre Investimento (ROI) devem se tornar os mantras da sua equipe de eventos.

4. Construir uma imagem de solidez diante de seus stakeholders

É comum que a moral dos colaboradores de todas as empresas caia durante uma crise. A preocupação com demissões, com baixas comissões e metas não alcançadas atingem do mais alto escalão empresarial até os níveis mais operacionais.

Nessa situação, é prioridade que os gestores não tragam a crise para dentro da empresa. Manter o calendário de participação em eventos é uma forma de mostrar para seu público interno que a empresa está batendo de frente com a crise, investindo em novas oportunidades e fazendo tudo o que está ao seu alcance para continuar crescendo.

O mesmo vale para impactar importantes stakeholders da organização como, por exemplo, fornecedores, parceiros, imprensa e formadores de opinião. Projetar uma imagem forte durante os piores cenários influencia diretamente o que é falado e pensado sobre a sua marca.

O que você quer que seja dito da sua empresa durante a crise? Quais estratégias sua empresa tem colocado em prática para driblar a crise? Compartilhe conosco nos comentários!